Bruno Figueiredo/Divulgação
Um oficial de Justiça esteve na tarde desta quinta-feira (31) no casarão da rua Manaus, no bairro Santa Efigênia, região Leste de Belo Horizonte, onde um grupo cultural ocupou o espaço no último sábado (26). O imóvel foi rebatizado de Espaço Luiz Estrela. Acompanhado de dez militares, o oficial tentou cumprir uma decisão liminar de reintegração de posse. No entanto, os ocupantes recusaram deixar o local.

"A decisão não foi sequer publicada. Além disso, não foram cumpridas obrigações legais", pontuou o advogado do Espaço Luiz Estrela, Joviano Mayer. Conforme ele, a liminar foi conseguida pela Fundação Educacional Lucas Machado (Feluma), mantenedora da Faculdade de Ciências Médica. O imóvel já abrigou o Hospital Militar de Belo Horizonte. No entanto, no entendimento dos organizadores do grupo, pertenceria à Fundação Hospitalar do Estadode Minas Gerais (Fhemig), entidade estadual.

"A entidade não é proprietária do imóvel. Nos queremos que haja um processo aberto, que seja revogada a concessão de uso do espaço. Também não se pode entregar o patrimônio público para uma empresa privada", disse o advogado. A Ciências Médicas foi procurada mas informou que por enquanto não irá se manifestar sobre o caso.

De acordo com Joviano Mayer, os ocupantes do Espaço Luiz Estrela já protocolaram um pedido de reunião com o Governo para chegar a um acordo. Para o próximo sábado (2), o grupo está organizando um grande ato. A partir das 14 horas, um cortejo lúdico sairá pelas ruas do bairro para espalhar a cultura.

O objetivo da turma, formada por artistas, profissionais liberais, estudantes e professores universitários, é reativar o casarão, movimentando-o com variada programação cultural.

Fonte: HOJE EM DIA
 
Top